fbpx

Tipos de Dores de Cabeça e suas causas

Como ter dias mais leves e aproveitar a vida em família?
setembro 10, 2019
Exibir tudo

Tipos de Dores de Cabeça e suas causas

Conheça os tipos de dores de cabeça mais comuns e descubra que sua dor pode ter uma razão bem diferente do que você imagina.

A dor de cabeça é algo muito comum e frequente, em homens e mulheres de todas as idades, inclusive em crianças. Os tipos de dores de cabeça podem ser bastante variados, assim como suas causas. Isso, muitas vezes, dificulta o diagnóstico e confunde quem sofre com este mal.

Para cada tipo de dor de cabeça existe um tratamento específico, mas geralmente costuma-se procurar o alívio da dor em analgésicos. Contudo, a prática da automedicação pode ser ainda mais prejudicial. Apesar do medicamento aliviar a dor a curto prazo, ela sempre retornará, uma vez que não foi tratada na raiz do problema.

Pior ainda é quando o organismo se “acostuma” com a medicação, que deixa de fazer o efeito imediato esperado, levando a pessoa e tomar doses cada vez maiores e mais fortes de remédios, na maioria das vezes, sem indicação médica e podendo provocar mais dor de cabeça.

Para evitar ainda mais problemas de saúde e para que você conheça os tipos de dores de cabeça, e também esclarecer as causas desse problema, continue a leitura e saiba qual a origem e o tratamento mais adequado para sua dor!

Principais tipos de dores de cabeça

Abaixo listamos os tipos de dores de cabeça que mais acometem pessoas em todo o mundo, assim como suas causas e a forma de tratar cada um deles. Confira.

Enxaqueca

A enxaqueca pode ser considerada um dos tipos de dores de cabeça mais graves, pois as crises podem durar horas ou até dias, e a dor costuma ser bastante forte, deixando a pessoa mais sensível a qualquer barulho e à luz.

Um sintoma bastante comum é a alteração da visão, que pode ficar embaçada e ocorre em uma a cada cinco pessoas que sofre com este mal. Essa dor também costuma ocorrer em apenas um lado da cabeça. Em alguns casos, a enxaqueca pode vir acompanhada de náuseas, tontura e até vômitos.

Caso ainda não tenha o diagnóstico, mas sinta esse tipo de dor, é importante que a pessoa procure ajuda médica. Apesar de a maioria das pessoas ingerir medicamentos como aspirina, paracetamol e outros por conta própria, eles só amenizam temporariamente a dor, mas não resolvem o problema de forma mais incisiva.

A enxaqueca deve ser tratada com orientação de um profissional de saúde que prescreverá a medicação mais adequada. Além dos remédios, pode ser sugerida a aplicação de compressas frias ou quentes na região do pescoço para ajudar no alívio das dores.

Cefaleia em salvas

A cefaleia é geralmente caracterizada por uma dor forte na região do olho, apenas de um lado da cabeça. Sua duração varia entre 15 minutos a uma hora, desaparece, mas volta logo em seguida, ou às vezes no outro dia, apenas.

Esse vai-e-vem da dor pode permanecer por vários dias ou semanas, e quando desaparece, podem ter intervalos grandes, de meses. O problema maior é que as causas do problema não são exatas, e a dor é recorrente. Ademais, ela pode vir acompanhada de corrimento nasal e olhos lacrimejantes e avermelhados do lado em que a dor ocorre.

Mudanças na pressão atmosférica, como as que ocorrem em viagens aéreas, e também alterações climáticas bruscas são outras causas bastante comuns de cefaleia. Contudo, o consumo de cigarro e álcool e fumo, assim como de alimentos industrializados com muitos conservantes, deve ser evitado para amenizar o problema.

A cura para este tipo de dor de cabeça ainda não foi encontrada, e os pacientes que sofrem com este mal reclamam da falta de eficácia dos medicamentos, uma vez que eles apenas amenizam as dores e diminuem o tempo das crises.
No entanto, os remédios comumente prescritos são os anti-inflamatórios (não esteroides) e os analgésicos mais fortes (do tipo opióides), além do uso de máscara de oxigênio a 100% durante a crise.

Sinusite

A sinusite é causadora de fortes dores na região da face. Está entre os tipos de dores de cabeça cujo diagnóstico exato só é possível com a realização de exames de raio-x da face, para comprovar a existência da inflamação.

Geralmente a dor vem acompanhada de entupimento das narinas, coriza ou secreção amarelada. Quando tratada de forma adequada, com medicamentos e inalação, a dor causada pela doença desaparece junto com o problema.

Dor de cabeça tensional

Este tipo de dor de cabeça afeta cerca de 90% das pessoas. Sua ocorrência é de forma esporádica e pode estar associada à insônia e ao estresse. Costuma surgir como uma dor difusa, na parte mais alta da cabeça, na testa, na face, nas têmporas e na nuca.
Sua principal causa é a rigidez muscular na região do pescoço, couro cabeludo e nas costas devido à má postura ou por conta de episódios estressantes, em que a pessoa costuma ficar tensa e isso acaba refletindo no corpo, na forma de contrações musculares. Porém, consumir cafeína em excesso e bebidas alcoólicas também podem gerar este tipo de dor de cabeça.

Para o alívio da dor tensional, é importante buscar um momento de relaxamento, massageando o couro cabeludo. Um banho quente ou alguma atividade prazerosa também podem ajudar.

No entanto, se os sintomas persistirem, é importante procurar orientação de um médico, que pode receitar um remédio para aliviar as crises. Os medicamentos mais comuns para estes casos são os analgesicos e relaxantes musculares.

Disfunção temporomandibular

Dores chamadas orofaciais e outras disfunções na região da articulação temporomandibular (ATM) são mais um um entre os tipos de dores de cabeça que afligem muitas pessoas e cujo diagnóstico é um pouco mais complicado. Como os sintomas são muito variados, é comum confundir problemas na ATM com outras doenças. Sem contar que muitos profissionais de saúde ainda desconhecem esse tipo de problema quando procurados por pessoas queixando-se de dores de cabeça.

Essas disfunções, que abrangem as patologias associadas aos músculos da mastigação e a articulação temporomandibular são conhecidas como DTM. Trata-se, na verdade, de dores musculo-esqueléticas na região da face, que podem ser crônicas ou agudas.
A DTM costuma ser a causa mais comum de dores “não-dentárias” na mandíbula, e atinge cerca de 7% da população, em maior número nas mulheres (de 60 a 90% dos casos).

A contração e a consequente dor nos músculos da mastigação são os sintomas mais comuns da disfunção temporomandibular. É isso que leva à dor de cabeça, quase sempre do tipo tensional. Outros sintomas são os ruídos articulares na ATM, movimentos da região limitados e irregularidade no movimento de abertura e fechamento da mandíbula.

Nesse caso, o tratamento passa, primeiramente, pela descoberta do problema, através da consulta com um cirurgião-dentista especialista em Disfunção temporomandibular e Dor Orofacial, quando forem observados os sintomas e a suspeita da disfunção. Depois de confirmada a suspeita, os tratamentos para este tipo de dor de cabeça vai desde Terapia Cognitivo Comportamental, terapias físicas (fisioterapia, acupuntura, quiropraxia, etc) e o uso de dispositivos intra-orais como as as placas de relaxamento muscular de uso noturno ou diurno, como o DIVA®. De fato, novos métodos têm sido desenvolvidos, apresentando maior eficácia e resultados mais rápidos para a melhora dos quadros de DTM.

Importância do tratamento correto

Seja qual for a origem, todos os tipos de dores de cabeça precisam ser tratados com ajuda profissional, de médicos ou dentistas especializados.

A automedicação é uma prática que deve ser descartada, uma vez que não promove a cura, apenas ameniza os sintomas, que podem voltar mais fortes. Sem contar que alguns medicamentos, por mais inofensivos que pareçam, podem fazer mal ao organismo e agravar o problema.

Identificou sua dor com algum dos tipos citados? Procure um profissional da saúde! E para saber mais sobre saúde continue acompanhando nossas dicas!

Precisa de ajuda? Converse Conosco