Por que o bruxismo é mais comum em mulheres?

As ocorrências de bruxismo são independentes do gênero, porém estudos mostram a predominância do gênero feminino, em relação ao distúrbio.

Uma das hipóteses para explicar essa predominância feminina estaria associada ao fato das mulheres serem mais suscetíveis ao estresse emocional.

A sobrecarga na rotina delas, pode trazer muitas complicações para a saúde, como ansiedade, depressão, bruxismo e vários tipos de dores de cabeça.

O bruxismo tem como característica principal o tensionamento dos músculos da face, e o ranger ou apertar dos dentes durante o sono, ou até mesmo durante o período acordado, neste caso, chamado de bruxismo de vigília.

Estes sinais podem passar despercebidos na vida das pessoas que a tensão e o estresse já fazem parte do seu dia a dia.

 

O que é bruxismo? E quais são os sintomas?

Todo mundo conhece o bruxismo pelo ranger dos dentes durante o sono, porém existe outro tipo de bruxismo que também é muito comum, principalmente em mulheres.

Segundo pesquisa disponibilizada pela UFPR, 74% dos indivíduos diagnosticados com depressão e ansiedade também sofrem de bruxismo de vigília.

O bruxismo de vigília apresenta contrações leves ou moderadas dos músculos da face e da região da mandíbula durante o dia, e se estendem por longos períodos.

Essa tensão pode causar microlesões nas fibras musculares da face e na região das ATM – Articulação temporomandibular.

Este hábito leva ao cansaço dos músculos mandibulares e pode provocar cefaleias tensionais e enxaqueca, com dores localizadas na região das têmporas, masseteres, nuca e ombros além de provocar zumbido e lesões nos dentes (fraturas, problemas gengivais).

Veja abaixo mais alguns sintomas que podem vir acompanhados do distúrbio.

Sintomas do bruxismo de vigília:

  • Dores na face;
  • Estalos na mandíbula;
  • Desgaste e fraturas nos dentes e restaurações;
  • Zumbido no ouvido;
  • Dores de cabeça;
  • Sensibilidade nos dentes.

 

Por que o bruxismo afeta mais as mulheres?

Um estudo mostrou que 90% das mulheres têm algum tipo de dor craniofacial, ou seja, dores que se manifestam na região da cabeça. Até mesmo a Disfunção na ATM tem índices maiores entre as mulheres do que nos homens, chegando a 60% dos casos.

Isso pode acontecer pelo fato de que as mulheres costumam somatizar mais os problemas do que os homens. Por causa da correria do dia a dia entre trabalhar, estudar ou cuidar dos afazeres domésticos, as mulheres passam por um estresse maior.

Pelo fato do bruxismo de vigília ter relação com a ansiedade, é possível entender que o estresse acumulado pode desencadear o distúrbio.

Além de tudo isso, as variações hormonais também podem influenciar no desenvolvimento do bruxismo de vigília.

Vamos ver as 3 causas do bruxismo afetar mais as mulheres, logo abaixo!

 

1. Fatores hormonais

Algumas mulheres sofrem muito de enxaqueca, principalmente em épocas do seu ciclo menstrual.

Por causa da mudança dos níveis de estrogênio, as mulheres estão acostumadas a sentirem dor de cabeça com frequência.

Fatores que desestabilizam os hormônios femininos:

  • Menstruação;
  • Menopausa;
  • Gravidez;
  • Pós-parto;
  • Contraceptivos;
  • Reposição hormonal.

Com as variações hormonais, as mulheres podem ficar mais sensíveis, e assim manifestar seu estresse através do apertamento dos dentes, que inclusive pode gerar dores de cabeça do tipo tensional.

 

2. Medicamentos

De forma geral, a automedicação é muito prejudicial ao organismo. Como foi citado aqui, as mulheres fazem uso de medicamentos que mexem com os hormônios e com isso desencadeia algumas dores de cabeça.

O uso de remédio de forma indiscriminada pode cronificar a dor de cabeça, gerar mais estresse, ansiedade e provocar o bruxismo de vigília e as contrações dos músculos faciais.

De fato, sem perceber o indivíduo quando está sob tensão, contrai a musculatura da face, levando a alguns tipos de dores de cabeça.

 

3. Fatores emocionais

Como mencionado, as mulheres parecem ter uma maior tendência em “armazenar” e “canalizar” a tensão emocional para a cabeça, face e boca. Quando homens fazem isso, os problemas afetam o coração ou o estômago.

Estudos mostram que a tendência de terem depressão, estresse, medo e ansiedade, são bem maiores no gênero feminino.

Além do mais, os fatores emocionais e a dor podem atrapalhar a concentração e assim aumentar os sintomas por não conseguir cumprir prazos ou atingir metas.

 

Como tratar o bruxismo?

O tratamento para o bruxismo varia conforme o paciente.

Para aqueles que sofrem com o bruxismo noturno, terapias físicas e cognitivas são recomendadas, mas também existe a opção da confecção de placas estabilizadoras.

Quando o paciente é diagnosticado com o bruxismo de vigília é possível contar com os profissionais da LIVA que são especialistas no distúrbio.

O tratamento é realizado por um dentista especialista em dor orofacial, e utiliza – além das terapias cognitivo comportamentais e terapias físicas – um dispositivo intrabucal que monitora em tempo real as tensões musculares do paciente.

Esse dispositivo é chamado de DIVA® e é exclusivo do tratamento LIVA. Devido ao seu formato compacto, este aparelho pode ser usado durante o dia.

Com autorregulação e biofeedback ativo, o DIVA® ajuda o paciente a perceber os episódios recorrentes de apertamento, e assim reeduca o cérebro para controlar esse hábito tão ruim que é o bruxismo de vigília.

Para saber mais sobre os resultados do tratamento LIVA, clique aqui.

 

Conclusão sobre por que o bruxismo é mais comum em mulheres?

A autoexigência, o perfeccionismo e o esgotamento cerebral também são motivos que podem levar as mulheres a sofrerem mais com o bruxismo.

Para que o corpo não seja afetado pelas doenças e distúrbios que são ocasionados pelo estresse e a ansiedade, é importante manter uma vida leve e com mais atividades que proporcionem satisfação.

Por isso, sempre que você notar sintomas de bruxismo, busque a ajuda de um profissional da saúde para que o tratamento possa ser iniciado o quanto antes, evitando um avanço dos sintomas ou ocasionando no desenvolvimento do bruxismo de vigília!

Precisando de ajuda para tratar o bruxismo de vigília? Entre em contato com os profissionais da LIVA!

 

 

Artigos Relacionados