fbpx

Por que a pandemia aumentou os casos de dentes fraturados? Descubra!

Zumbidos no ouvido e o coronavírus
Covid e zumbido, entenda a relação
dezembro 9, 2020
Disfunção na ATM e cirurgias desnecessárias
Disfunção da ATM: a cirurgia é mesmo necessária?
fevereiro 17, 2021
Exibir tudo

Por que a pandemia aumentou os casos de dentes fraturados? Descubra!

Fratura de dente e pandemia

Desde o início da pandemia do Covid-19, cirurgiões-dentistas de todo o mundo têm relatado um aumento incomum nas ocorrências de fratura dental. De acordo com um artigo publicado no The New York Times, a causa é o estresse, que leva ao aperto e ao ranger de dentes.

Diante das notícias ruins e do clima de confinamento, muitas pessoas acabam ficando ansiosas, o que aumenta a tensão nos músculos da face e na articulação temporomandibular. O resultado são dentes desgastados, rachados e até mesmo quebrados, conforme relata o cirurgião-dentista Paul Koshgerian, da The Oral Surgery & Dental Implant Specialists de San Diego. Em seu consultório, era normal tratar um dente quebrado por dia antes da pandemia. Mas após o surto do vírus, as queixas duplicaram.

Segundo especialistas em endodontia, a Covid-19 não afeta diretamente a saúde dos dentes, mas a ansiedade causada por toda a situação os tornam mais vulneráveis ao bruxismo  —  distúrbio  que leva o paciente a ranger, pressionar ou trincar os dentes. Infelizmente, a condição é mais comum do que se imagina e pode até mesmo danificar coroas e obturações.

Casos sérios pedem uma visita ao dentista

Ao experimentar sintomas como dor durante a escovação, excesso de tensão no queixo, rosto dolorido, sensibilidade a bebidas quentes ou frias ou sinais de trinca nos dentes, é fundamental buscar o auxílio de um cirurgião-dentista.

Um parceiro também pode ouvir facilmente o ranger de dentes caso esteja dormindo perto. Nesses casos, não ignore os comentários sobre o barulho e agende uma visita ao dentista o mais rápido possível. Mesmo durante a pandemia, é possível iniciar um tratamento contra o bruxismo, já que as clínicas estão implementando medidas de segurança como distanciamento social e triagem reduzida.

Tratando os dentes fraturados

Ao perceber rachaduras, quebras ou trincas nos dentes, seu cirurgião-dentista solicitará radiografias para uma melhor visualização do problema. O objetivo é avaliar toda a arcada dentária para averiguar condições pré-existentes e obter um diagnóstico mais apurado.

Tratamentos dentários realizados anteriormente podem predispor os dentes às rachaduras e fraturas. Mastigação de alimentos duros e traumas na região oral também podem estar por trás do problema. Entretanto, se não houver nenhum desses indícios no histórico do paciente, o mais provável é que a causa seja o bruxismo.

A abordagem do tratamento dependerá de como ocorreu a quebra estrutural do dente. Para melhor entendimento, basta compreender o básico da odontologia:

  • A parte visível do dente é chamada de coroa;
  • Cada dente é ancorado pela raiz no osso da mandíbula (arcada inferior) e maxila (arcada superior);
  • A coroa é revestida pelo esmalte;
  • Abaixo do esmalte está localizada a dentina, que constitui o corpo do dente, sendo composta pela coroa e raiz;
  • Na parte central está a polpa, onde se encontram o nervo e o vaso sanguíneo.

Caso a rachadura tenha percorrido o esmalte, a dentina e atingindo a polpa, é possível corrigir o problema realizando o tratamento de canal. Porém, se a rachadura alcançar a raiz do dente, é impossível salvá-lo. Nesses casos, o implante dentário pode ser a solução.

É importante ressaltar que o dentista sempre priorizará os tratamentos menos invasivos. Por exemplo, nos casos de bruxismo onde não há dentes quebrados, a utilização de uma placa bucal pode ser suficiente para proteger os dentes, evitando as consequências do bruxismo.

Dicas para evitar o bruxismo

Praticar atividades como ioga, corrida, meditação, massagem e acupuntura pode ajudar a combater o bruxismo. Isso porque o principal mecanismo do problema é o estresse e a excitação do sistema nervoso central. Como essas atividades são relaxantes, a resposta ao ranger de dentes costuma ser bastante favorável.

E atenção: se você tem o hábito de cerrar os dentes ao longo do dia, tente desenvolver a consciência do problema. O ideal é que os dentes se toquem apenas ao mastigar ou engolir.

Bruxismo e dores de cabeça

Além de prejudicar a estética dos dentes, a função mastigatória, respiratória e a fala, o bruxismo pode levar a quadros de cefaleia, isto é, dores de cabeça que prejudicam o dia a dia do paciente.

Nestes casos, é necessário buscar um tratamento que visa o relaxamento de todos os músculos da face e da articulação temporo-mandibular.

Para mais informações, acesse o nosso site https://livasaude.com.br/ ou continue navegando pelos artigos do nosso blog!

Precisa de ajuda? Converse Conosco