Os malefícios do uso constante de remédios para dor de cabeça

A ação mais comum diante de uma dor de cabeça é recorrer aos analgésicos. Entretanto, essa atitude não é a mais adequada: diversos estudos vêm mostrando que tomar remédios em excesso pode, além de não resolver o problema, ser um fator fundamental para o desenvolvimento das dores de cabeça.

Existem cerca de 200 tipos de dor de cabeça e é de extrema importância buscar um profissional gabaritado para um um diagnóstico preciso evitando, assim, abusar da automedicação e por fim, levar a cronificação da dor.

Outro perigo apontado pelo Dr. Mario Kondo, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e gastroenterologista do Hospital Sírio-Libanês é a superdosagem.

De fato, muitos pacientes acabam se intoxicando pela tomada excessiva destas drogas.

O paracetamol, por exemplo, um dos mais consumidos para amenizar as dores de cabeça, é seguro apenas quando o seu consumo não ultrapassa os 3g por dia. Além desta dosagem, uma autorização médica é imprescindível.

Muitas vezes, devido às dores intensas, as pessoas chegam a tomar até 4 doses de paracetamol por dia, ultrapassando demais a quantidade recomendada.

Até mesmo a dipirona, um dos analgésicos mais seguros, pode causar malefícios quando ingerida em quantidades acima de 4g.

E nem pense em intercalar diferentes tipos de remédios pensando em reduzir a dosagem de cada substância, pois, apesar dessa redução, você ficaria exposto a uma quantidade maior de efeitos colaterais.

 

Principais malefícios do excesso de remédio para dores de cabeça

  • O consumo de paracetamol acima de 3g coloca o fígado em risco. Além disso, pessoas desnutridas ou alcoólatras tendem a tolerar ainda menos esta droga;
  • Inchaço na pele, marcas e ardência podem aparecer após o uso da dipirona;
  • Além de causar o mascaramento do tipo e origem de sua dor de cabeça.

Percebe como é prejudicial não consultar um médico?

Ficar tomando remédios só trará outros males para a sua saúde e não eliminará a dor de cabeça. A partir da análise de um especialista, cada tipo de dor deverá ser tratada de uma forma.

Tratamentos adequados para dor de cabeça

A cefaleia tensional é um tipo de dor de cabeça causada geralmente por contrações musculares constantes nos músculos do pescoço e cabeça e pode estar associada ao bruxismo de vigília (apertamento dos dentes que ocorre durante o dia).

Para tratar esse tipo de dor de cabeça, o especialista deve aplicar um tratamento que age diretamente na origem do problema. O tratamento LIVA é o mais indicado para o bruxismo de vigília e, o melhor, dispensa o uso de remédios.

Esse tratamento consiste no uso do Dispositivo Interoclusal de Vigília (DIVA®), dispositivo formado por uma mini placa presa nos dentes posteriores.

Este dispositivo tem a capacidade de monitorar, em tempo real, os apertamentos dentários, tornando-os consciente para o paciente, ajudando assim na reeducação deste hábito tão pernicioso. Conforme estes apertamentos forem diminuindo, as dores de cabeça tendem a cessar.

Por isso, ao invés da automedicação é importante procurar ajuda de um profissional que te indicará o tratamento mais adequado.

 

Para mais informações sobre esse tratamento inovador, entre em contato com a LIVA. Assim, você poderá entender melhor a sua dor e marcar uma consulta com um especialista em dor orofacial.

 

Veja também esse vídeo sobre os mitos e verdades do uso excessivo de medicamentos para dor de cabeça com o Prof. Dr. Speciali, uma das maiores autoridades do Brasil em Neurologia e no estudo da enxaqueca.

 

Artigos Relacionados

Precisa de ajuda? Converse Conosco