fbpx

Eletromiografia: o que é e como é feito?

dores de cabeça e pandemia
Pandemia: o mais novo gatilho para dor de cabeça
fevereiro 23, 2021
Botox para tratamento das dores de cabeça
Botox para tratamento das dores de cabeça – Cuidados necessários
julho 13, 2021
Exibir tudo

Eletromiografia: o que é e como é feito?

O que é o exame de eletromiografia e para que serve?

Com o momento que estamos vivendo, a ansiedade e o estresse estão cada vez mais presentes no nosso dia a dia. As tensões e frustrações diárias acabam se transformando em comportamentos e hábitos orais como o bruxismo de vigília. Isto é, todos estes gatilhos emocionais são canalizados para a boca e transformados em tensões nos músculos da face e da cabeça. Apertamos e encostamos os dentes, tensionamos a boca, os músculos da face e do pescoço sem nenhuma necessidade funcional, e isso gera muitos desconfortos.

O grande desafio é ajudar os nossos pacientes a perceber este comportamento, muitas vezes inconsciente e fonte de tantas dores na região da face, da nuca, dos ouvidos e da cabeça. Pedir simplesmente para que o paciente desencoste os dentes ou relaxe a musculatura não é uma tarefa fácil quando se está trabalhando, concentrado em cima de alguma tarefa como ler, fazer tabelas, dirigir…

Para tanto, precisamos do auxílio de um exame que ajude a detectar este tensionamento muscular. Para tanto, usamos a eletromiografia.

A importância do exame de eletromiografia

O exame de eletromiografia é de fundamental importância para diagnosticar o bruxismo de vigila e confirmar ao paciente que ele é portador deste tensionamento muscular inconsciente muitas vezes causador de cefaleias, enxaquecas e outras dores faciais.

Sem esse exame, ficaria praticamente impossível fechar um diagnóstico assertivo e muitas vezes esta demora é a causa da cronificação das dores e de mais sofrimento.

A eletromiografia é um exame simples, indolor e não invasivo, realizado na clinica do especialista em dor orofacial. Ele é o único exame capaz de detectar o bruxismo de vigília. Utiliza-se sensores ou eletrodos capazes de monitorar em tempo real a atividade elétrica dos músculos que se pretende analisar.

Esses sensores são colados nos músculos da face do paciente e transformam as contrações musculares em um gráfico facilmente interpretado pelo profissional e paciente. Para realizar um exame fidedigno e compatível com a realidade, pede se ao paciente, nos primeiros minutos da avalição, que ele feche os olhos (para não ser influenciado pelo gráfico) e que ele tente reproduzir os hábitos que ele tem durante o dia e mantenha a boca e os músculos da face, na posição que ele acha natural.

Assim, cada vez que o paciente realizar uma contração muscular, por mais tênue que for, um pico de tensão aparecerá no gráfico.

Apresentamos abaixo um exame de eletromiografia de uma paciente que se queixava de dores de cabeça, ouvido, face e pescoço há mais de 5 anos sem nenhuma melhora consistente e sustentável após vários tratamentos a qual foi submetida como: medicação, terapias físicas e placa noturna. De fato, esta paciente era portadora de bruxismo de vigília severo e nenhum profissional ou exames como tomografia e ressonância haviam detectados este distúrbio.

Realizamos então a eletromiografia e a paciente, ao enxergar o gráfico entendeu o que era um músculo tenso e qual era a posição da boca mais relaxada, e ela disse: “Então, eu fico sempre tensa, nunca relaxo! Essa posição com os dentes afastados não parece ser natural e confortável, mas entendi que é assim que devo ficar a partir de hoje. Só posso encostar os dentes na hora de mastigar ou de engolir, certo doutor?” “Exatamente!”.

Sobre o tratamento LIVA para bruxismo de vigília

Mas, qual o desafio desse tratamento? É a mudança de um padrão neuro-muscular, isto é, de um hábito que o paciente apresenta há tanto tempo. O tratamento LIVA foi desenvolvido justamente para ajudar estas pessoas a se conscientizar destes hábitos para depois controlá-los de forma consciente e natural de uma maneira sustentável ao longo do tempo. Sem remédio, de forma totalmente reversível e não invasiva. É um tratamento que segue os conceitos do biofeedback, muito utilizado na academia europeia de dor orofacial e recomendado pela Fundação Americana de Cefaleia, para a reversão do bruxismo de vigília e as dores de cabeça, da nuca e distúrbios nos ouvidos como o zumbido.

O tratamento LIVA tem uma duração aproximada de 90 dias, no qual o paciente treina a controlar o bruxismo de vigila, isto é, ele consegue conscientemente identificar e reverter o péssimo hábito de apertar e encostar os dentes durante o dia ou apenas tensionar os músculos da face como o temporal, o masseter e os músculos da nuca.

Após este período de treinamento, o paciente se vê livre do hábito do bruxismo de vigília, consegue manter os dentes afastados e os músculos relaxados durante o dia sem esforço, isto é, abandona um hábito ruim e transforma-o em um habito saudável, o do relaxamento muscular da face.

Esse treinamento é feito com o uso do Dispositivo Interoclusal de Vigilia, o DIVA, uma mini placa que o paciente usa durante o dia e que tem a capacidade de monitorar em tempo real o bruxismo de vigília e o tensionamento dos músculos da face.

Este tratamento inovador já beneficiou mais de 2.000 pacientes no Brasil nos últimos anos promovendo uma melhora de mais de 80% dos casos e foi premiado como a pesquisa mais importante da academia europeia de dor orofacial no ano 2019.

Como vimos neste artigo, o controle do bruxismo de vigilia é de fundamental importância para controlar as dores da face e da cabeça e que a Eletromiografia é essencial para atingir os melhores resultados.

Precisa de ajuda? Converse Conosco