Esgotamento mental: como ele pode te afetar

*Texto revisado pela Dra. Vera Fogaça, dentista parceira da LIVA.

 

Em algum momento da vida, todos nós já passamos por um período estressante. Mas, quando podemos dizer que o que estamos sentindo se trata de esgotamento mental?

O esgotamento mental se mostra quando a pessoa atinge o limite de suas emoções.

Esse processo de exposição a situações constantes de tensão, pode levar o indivíduo a outros tipos de transtorno, como ansiedade generalizada ou até depressão.

O corpo é nosso instrumento de comunicação com o mundo, observá-lo e protegê-lo é a forma de evitarmos algumas doenças.

Além de ajudar a identificar os sintomas, queremos mostrar a você as principais causas do esgotamento mental e como amenizá-lo.

Para saber mais sobre o assunto, continue a leitura!

 

O que é o esgotamento mental?

Também conhecido como estafa, o esgotamento mental é resultado de uma sucessão de momentos de tensão.

Se não observados e tratados, pode evoluir para a Síndrome de Burnout, onde o indivíduo se mostra totalmente sem energia nos aspectos físico e mental e com consequente limitação de suas atividades rotineiras.

O cansaço mental acontece quando o cérebro fica sobrecarregado de informações e emoções.

Quando o indivíduo está submetido ao acúmulo de tarefas, prazos curtos para entrega de trabalhos, excesso de competição e hiper conectividade com redes sociais.

Sob estresse, mudanças importantes acontecem no organismo e o equilíbrio das funções corporais ficam comprometidas.

O aumento de cortisol no sangue – hormônio liberado quando o indivíduo está sob estresse – desregula todo o sistema nervoso.

Por ficar muito tempo submetido a tensão, o paciente pode apresentar diversas alterações físicas e psíquicas e uma delas é a estafa mental.

 

Causas do esgotamento mental

Tudo aquilo que faz a gente pensar demais, ou se cobrar demais, pode se tornar um motivo para o desenvolvimento do esgotamento mental.

As principais causas do estresse, podem estar no ambiente de trabalho ou até mesmo no ambiente caseiro, como a maternidade e a paternidade, também podem ser colaboradores importantes para o cansaço mental, à medida em que as funções sejam atribuídas de forma exaustiva.

Outros gatilhos também podem ser notados em quadro de estresse acentuado como situações traumáticas, divórcios, morte de um ente querido, desemprego e etc.

Algumas posturas que podem estar relacionadas a causas de esgotamento mental:

  • Dificuldades em dizer não;
  • Ambição excessiva;
  • Incapacidade de relaxar;
  • Tentar ser forte o tempo todo;
  • Perfeccionismo;
  • Se culpar em excesso;
  • Isolamento social.

 

Quais são os sintomas do esgotamento mental?

As emoções levam a dores compensatórias.

O corpo e a mente respondem à estafa mental com sintomas físicos e emocionais.

Veja abaixo se você possui algum deles!

Sintomas físicos do esgotamento mental:

  • Doenças crônicas;
  • Gastrites;
  • Problemas cardíacos;
  • Cansaço excessivo
  • Falta de energia;
  • Cefaleia tensional;
  • Diminuição da libido;
  • Imunidade baixa;
  • Dores e tensões musculares pelo corpo;
  • Bruxismo diurno;
  • Alergias de pele;
  • Alterações no apetite, comendo demais ou perdendo a fome;
  • Dores na região da mandíbula (DTM).

 

Sintomas emocionais do esgotamento mental:

  • Sensibilidade exagerada;
  • Excesso de empatia, causando choro fácil;
  • Alterações no sono e no apetite;
  • Aumento da irritabilidade;
  • Medo desproporcional;
  • Angústia;
  • Crises de ansiedade;
  • Sensação de vazio;
  • Lapsos de memória;
  • Falta de motivação para atividades rotineiras;
  • Problemas para dormir, e quando consegue tem dificuldade para acordar.

 

Como tratar o esgotamento emocional e físico

Agora que você já conhece os gatilhos e sintomas do esgotamento físico e mental, você pode introduzir atividades e práticas em sua rotina que te ajudam a ter um controle sobre o seu corpo e a sua mente.

A observação, autoconhecimento, e conscientização de seus atos podem lhe trazer uma percepção sobre você que podem protegê-lo de doenças importantes para o bom funcionamento de seu corpo.

Do mesmo modo, buscar de profissionais preparados para ajudá-lo na avaliação e condução de tratamento também tem um papel vital.

Veja abaixo o que fazer para evitar e prevenir o esgotamento mental e físico.

 

  • Terapia

Na terapia será possível descobrir quais gatilhos têm acionado o seu esgotamento mental.

Dessa forma o paciente conseguirá identificar quais comportamento e situações mais trazem emoções negativas, desenvolvendo assim, o cansaço mental.

Com a terapia o paciente aprende a lidar com as situações estressantes, sem a necessidade de exceder seu limite emocional e físico.

 

  • Atividade física

Praticar atividades físicas – ou de lazer – ajuda o corpo a produzir endorfina e adrenalina, hormônios que trazem sensação de bem-estar.

Portanto, movimentar o corpo pode trazer bastante progresso no tratamento para o esgotamento mental.

Igualmente importante, é respeitar o tempo de descanso como férias, finais de semanas e feriados.
Procure um hobbie ou uma atividade divertida para se dedicar no seu tempo livre.

 

  • Meditação, Mindfulness e Yoga

Por causa da nossa rotina agitada, temos o costume de focar em muitas coisas ao mesmo tempo. Por isso, praticar o Mindfulness e a meditação, pode ser uma ótima forma de descansar a mente.

A Yoga também é uma alternativa para as pessoas que querem aumentar a concentração e diminuir a ansiedade e o estresse.

Introduzindo de 10 a 20 minutos dessas técnicas de relaxamento em sua rotina, você conseguirá se conectar consigo mesmo e, assim, obter qualidade de vida.

 

Esgotamento mental e a saúde bucal

Você deve estar pensando…

“O que a saúde mental tem a ver com a saúde bucal?”

Pois saiba que pessoas que sofrem de problemas emocionais como depressão, síndrome de Burnout, esgotamento mental costumam adquirir hábitos nocivos à saúde bucal.

Como forma de controlar a ansiedade, alguns recorrem – muitas vezes – ao uso excessivo de bebidas, cigarros e medicamentos.

Esse tipo de conduta pode contribuir para o surgimento de problemas bucais, como cáries, gengivite, disfunções na ATM e hábitos indesejados à saúde, como o bruxismo diurno – quando o paciente mantém os dentes apertados durante o dia ou os músculos da face e da cabeça tensionados.

Estes distúrbios tendem a trazer sintomas como dores musculares na região da boca, sensibilidade dentária, dores de cabeça, estalos na mandíbula e zumbidos no ouvido.

 

Equipe multidisciplinar para tratar o Esgotamento mental

É fundamental ter uma equipe multidisciplinar para tratar o esgotamento mental, e cada sintomas deve ter o acompanhamento do profissional especializado e preparado para isso.

O profissional de saúde mental o ajudará a identificar os seus gatilhos, enquanto os demais profissionais vão tratar os sintomas que surgiram a partir da condição delicada que se encontra o paciente.

Se a área afetada foi a região bucal, um dentista será necessário.

Caso seja notado o desenvolvimento do bruxismo de vigília, o Tratamento LIVA pode ser indicado e aplicado por profissionais especializados em dor orofacial que poderão identificar o grau e definir a estratégia terapêutica mais indicada.

 

Conheça o Tratamento LIVA e como ele tem ajudado mais de 2.000 pessoas a tratar o bruxismo diurno e as dores de cabeças constantes.

 

Conclusão sobre o esgotamento mental

O esgotamento mental vem para mostrar que precisamos respeitar os limites do nosso corpo, antes de priorizar a carreira e assuntos pessoais.

Mude seu estilo de vida e crie hábitos saudáveis, como beber mais água, se alimentar bem, praticar atividades físicas e acima de tudo, ter um tempo para você mesmo!

Isso faz com que sua mente fique menos sobrecarregada, trazendo saúde e bem-estar no seu dia a dia.

 

Se você acredita que o esgotamento mental trouxe à tona o bruxismo de vigília, entre em contato com os nossos especialistas.

 

 

Artigos Relacionados

Precisa de ajuda? Converse Conosco