fbpx

Como se sentir mais confiante

Conheça os benefícios da técnica Mindfulness
setembro 11, 2019
10 dicas para melhorar a qualidade de vida
setembro 11, 2019
Exibir tudo

Como se sentir mais confiante

Ser mais confiante é o desejo de muitas pessoas. Isso garante melhor interação social, melhor desempenho na vida profissional e autoestima elevada. Mas nem sempre conseguimos nos sentir assim, não tem como virar uma chave e falar: “pronto, agora sou mais confiante!”. Entretanto, essa é uma característica que, apesar de ser mais natural para uns do que para outros, pode ser trabalhada e melhorada ao longo da vida.

É sobre essa melhora de confiança que vamos falar neste artigo. Quais atitudes podemos ter para aumentar a própria confiança? Mas antes de falarmos sobre atitudes transformadoras, precisamos entender as consequências da falta de segurança e os fatores que levam a esse sentimento. Confira!

Consequências da falta de confiança

A insegurança pode servir de base para o surgimento de outras doenças, por exemplo, a depressão. Além disso, o indivíduo também pode desenvolver algum transtorno de ansiedade, principalmente a ansiedade sócio avaliativa.Pessoas inseguras estão sempre preocupadas com o que vão pensar delas, se vão achá-las inferiores ou incapazes, e num contexto social esse sentimento piora.

O efeito dominó não para por aí. Assim como a falta de confiança pode desencadear quadros de depressão e ansiedade, essas doenças acabam por gerar outras. Devido ao constante estado de alerta e tensão que a ansiedade causa no sujeito, ela pode servir como gatilho para o bruxismo, um quadro no qual a pessoa passa a ranger ou apertar fortemente os dentes de forma inconsciente. Afinal, toda essa ansiedade precisa ser “descarregada” em algum lugar.

O apertamento dos dentes, que também ocorre durante o dia, é a forma que o indivíduo encontra de se livrar de toda essa tensão e é chamado de bruxismo de vigília.

O bruxismo de vigília, por sua vez, está ligado ao surgimento da cefaleia tensional: um tipo de dor de cabeça causado pela tensão muscular e pela contínua hiperatividade dos músculos faciais. Com tantas ações sendo depositadas na região da mandíbula, é de se esperar que fortes dores comecem a surgir nessa região.

Por que nos sentimos inseguros?

Diversos fatores induzem a falta de confiança: pode ser a estrutura familiar, o contexto histórico-cultural ou até questões fisiológicas. O medo de rejeição, de críticas ou da solidão também são responsáveis por gerar insegurança. Basicamente, os sentimentos de incapacidade e inferioridade, necessidade de aprovação e medo emocional são as raízes da falta de confiança.

Além disso, muitas pessoas podem ser criadas por pais muito inseguros ou que os reprimem, outros podem sofrer traumas na vida adulta. Essas situações também podem desencadear esse quadro.

Medo real x medo emocional

O medo em certas doses é muito importante. Ele é aquele alarme que liga quando estamos em situações ameaçadoras e desperta em nós a reação de lutar ou fugir. Ou seja, quando sentimos medo, nosso corpo se prepara para se defender.

Por isso, é natural o indivíduo sentir medo de altura, de alguns animais, de andar sozinho muito tarde ou até de perder o emprego ou uma pessoa. Esse tipo de medo serve para a sua proteção. O problema começa quando ele se torna algo exacerbado, emocional além da situação real, e gera insegurança.

Como se sentir mais confiante

Pequenas mudanças podem ajudar muito na elevação da autoestima. Abaixo selecionamos alguns hábitos que você pode inserir na sua rotina e que farão você se sentir mais confiante. Veja abaixo!

Melhore sua postura

De acordo com Amy Cuddy, uma socióloga da Universidade de Harvard, você deve se colocar na frente do espelho e manter o peito estufado, a coluna ereta, os pés afastados e as mãos na cintura durante 5 minutos por dia ou antes de situações importantes. Ela diz que esse é um método infalível para você se sentir mais seguro. As famosas poses da Mulher Maravilha e do Superman ajudam você passar a mensagem de seriedade, poder e controle.

Faça isso, por exemplo, antes de apresentar um projeto, participar de uma reunião importante, dar uma aula ou ministrar uma palestra. Além disso, durante esse tempo, em frente ao espelho, você deve visualizar reações positivas em relação aos seus feitos.

Você pode até desconfiar do resultado desse método, mas a pesquisa de Harvard garante que funciona. Isso ocorre porque as posições do nosso corpo têm relação com a produção de hormônios que regem o comportamento. Ao se manter nessa posição, a taxa de testosterona aumenta em até 20%, sendo assim, você se sente automaticamente mais confiante.

O comportamento é reflexo da emoção, por isso, a insegurança se manifesta na postura. Entretanto, esse reflexo é uma via de mão dupla. Se, apesar da insegurança, você optar por mudar a sua postura, o inverso acontece, e sua postura é quem acaba influenciando suas emoções.

Mantenha a postura correta ao longo do dia

De nada adianta você fazer o exercício anterior por cinco minutos e manter uma postura ruim o restante do dia. Para se sentir mais confiante, fazendo com que as pessoas a sua volta também percebam isso, sua postura tem que ser impecável. Você já viu alguma personalidade influente com uma postura torta, com os braços cruzados ou cabisbaixo? Nunca viu, não é mesmo?

Portanto, se você quer ser visto com uma pessoa segura, sua postura deve ser correta. A linguagem corporal diz muito sobre um indivíduo, e estudos relatam que bastam apenas alguns segundos para que as pessoas formem uma opinião sobre nós.

Faça exercícios físicos

A melhora da postura não acontece do dia para a noite. Muitas vezes são anos de postura incorreta, por isso não basta acordar um belo dia e decidir mudar isso. Seu corpo já está habituado dessa forma, portanto a mudança deve ser gradativa. Comece se policiando: você vai perceber que, quando menos esperar, o seu corpo já voltou para a postura incorreta.

Fazer exercícios também ajuda muito, especialmente aqueles que alongam o corpo, como yoga, ballet e pilates. A dança também trabalha a autoestima, pois a cada passo dominado você adquire mais confiança e, automaticamente, isso é refletido nas demais áreas da vida. Além disso, dançar é uma atividade social e socializar também contribui para melhorar a autoconfiança.

Outras dicas para se sentir mais confiante

Além das dicas citadas acima, é importante investir em conhecimento. Dominar o tema sobre o qual você está falando, seja em qual ambiente for, desde um simples bate papo até uma apresentação muito importante, fará com que você se sinta mais a vontade naquele contexto.

Cuidar da aparência e se vestir de forma adequada em cada ambiente também são atitudes que colaboram bastante para melhorar a autoestima. Dessa forma, você estará mais confortável na própria pele.

Para finalizar, não podemos deixar de citar que até mesmo a sua postura durante o sono tem relação com a autoconfiança. Segundo a pesquisadora Amy Cuddy, já mencionada acima, dormir em posição fetal não é muito benéfico. Segundo ela, o ideal é deitar-se com as pernas e os braços abertos. A postura expansiva fará com que você se sinta mais poderoso e maior.

Invista tempo para mudar a sua postura incorreta, fará muito bem a você!

Precisa de ajuda? Converse Conosco