fbpx

Como o emocional pode afetar a saúde do corpo

6 Motivos que podem levar a sensibilidade nos dentes
6 Motivos que podem levar a sensibilidade nos dentes
setembro 2, 2021
mulher deitada em uma cama
Qual a importância de ter uma boa qualidade do sono?
novembro 10, 2021
Exibir tudo

Como o emocional pode afetar a saúde do corpo

Como o emocional pode afetar a saúde do corpo

Para o corpo funcionar bem e permanecer saudável, as pessoas costumam dar bastante atenção à alimentação e à atividade física. Entretanto, existe um outro fator de igual importância que é a saúde emocional.

Quando descuidamos do nosso psicológico abrimos espaço para doenças como depressão, ansiedade, compulsões, entre outras enfermidades psíquicas, as quais podem progredir em sintomas físicos, como gastrites, enxaquecas e até mesmo bruxismo.

Com esse artigo queremos apresentar para você, como o emocional pode afetar a saúde do seu corpo. Por isso continue lendo para conhecer mais sobre o assunto.

O que é doença psicossomática?

Sabe, quando vamos a uma entrevista de emprego, ou participamos de uma prova e logo em seguida temos dor de cabeça? Ou sentimos aquele frio na barriga?

O estresse e a ansiedade são responsáveis por causar esse “frio na barriga”, antes de certas experiências.

Isso tudo é a somatização das emoções. Quando damos muita ênfase a eventos novos, traumas e experiências ruins, nosso corpo tem esse tipo de reação.

É comum e normal, porém quando esses sintomas acontecem com frequência e vem acompanhados de outros desconfortos, podem gerar uma sobrecarga no cérebro, levando ao que se chama de psicossomatização.

A somatização é difícil de diagnosticar, já que não está ligada a um fator em si, já a psicossomatização – por vir acompanhada de outras enfermidades – e podem ser detectadas em análises laboratoriais.

Quando sentimos tristeza, medo, raiva ou outros tipos de emoções, o nosso corpo libera hormônios como cortisol e adrenalina; essas substâncias liberadas de forma constante causam um desequilíbrio no nosso organismo.

Um estudo publicado pela revista Science mostrou que as emoções provocam respostas importantes a nível cerebral. Para chegar a essa conclusão, os participantes do experimento foram submetidos a traumas emocionais como a rejeição de seus parceiros.

A parte do cérebro que recebeu essa informação da rejeição, foi localizada no mesmo local de quando sentimos dor física. Mostrando assim, que no cérebro a dor emocional se assemelha à dor de uma pancada ou ferimento.

Emoções que podem prejudicar a saúde do corpo

Portanto, doenças psicossomáticas são aquelas causadas ou agravadas por sofrimento psicológico.

Não sabendo lidar com suas emoções negativas ou com problemas diários, a pessoa pode desenvolver transtorno de ansiedade, medo descontrolado e paranoias levando a doenças graves.

Algumas emoções que em excesso podem prejudicar a saúde do corpo:

  • Raiva;
  • Depressão;
  • Estresse;
  • Ansiedade;
  • Tristeza;
  • Culpa;
  • Dúvidas.

Com as emoções descontroladas, o paciente pode desenvolver doenças físicas, que serão citadas mais abaixo, e também alguns sintomas podem ser observados em diversas partes do corpo.

Sintomas de doenças psicossomáticas:

  • Dores generalizadas;
  • Falta de ar;
  • Manchas na pele (vermelhas ou roxas);
  • Formigamento;
  • Tremores nas extremidades;
  • Insônia;
  • Desinteresse por atividades rotineiras;
  • Falta de concentração;
  • Irritabilidade;
  • Cansaço, sem causa aparente.

Entre outras características de doenças psicossomáticas também estão o esgotamento profissional, o negativismo e a autocobrança.

Há vários fatores que podem contribuir para o desenvolvimento de doenças psicossomáticas, como problemas financeiros, luto, traumas de infância e depressão crônica.

Por isso a importância de um acompanhamento profissional, para que você saiba controlar suas emoções, frustrações e sentimentos negativos.

Doenças que podem estar relacionadas ao emocional

Apresentaremos aqui, algumas doenças psicossomáticas, mas também há muitas outras que entram nessa lista, como a acne, alergias, alterações na libido, queda de cabelo, doenças autoimunes e ficar doente ou gripado frequentemente, visto que a psicossomatização leva ao enfraquecimento do sistema imunológico, favorecendo o surgimento de várias doenças.

Por isso é preciso estar atento aos sintomas e procurar profissionais para que possam auxiliar no seu caso.

Aqui estão algumas das doenças psicossomáticas mais comuns.

Gastrite

As emoções não causam a gastrite em si, mas sentimentos como ansiedade, estresse e nervosismo estimulam a produção de ácido gástrico, deixando o estômago mais suscetível a doença.

Sintomas como dor, queimação, ânsia de vômito e falta de apetite – além de gastrites e úlceras- podem ser influenciadas pelo emocional. Isso acontece por causa do excesso de substâncias ácidas produzidas no estômago, durante o período de tensão e estresse.

Além disso, a doença pode se estender ao intestino e causar diarreia, síndrome do intestino irritável e prisão de ventre.

Enxaquecas

As desordens emocionais podem mexer com o nosso sistema nervoso, causando algumas reações, como alterações visuais, insônia, formigamento, e também, as enxaquecas e cefaleias.

Quando a dor de cabeça não está relacionada a nenhum tipo de doença, ela pode ser o resultado de um esgotamento mental. A enxaqueca é um dos sintomas mais comuns após uma crise emocional. Segundo um estudo, 45% dos casos de cefaléia crônica estão relacionados a gatilhos emocionais.

Alguns pacientes chegam a relatar que esse tipo de enxaqueca pode durar dias e noites e não melhoram com nenhum tipo de medicação.

Leia também: Conheça os gatilhos que podem estar associados às suas dores de cabeça.

Alterações cardiovasculares

Problemas cardíacos também podem estar relacionados aos altos níveis de estresse.

Fortes dores no peito, palpitações e elevação da pressão arterial são algumas das alterações cardiovasculares que podem acontecer.

A produção de hormônios gera adrenalina que acelera os batimentos cardíacos. Essa ação leva ao aumento de pressão que pode ocasionar um maior risco de infarto, AVC ou arritmia.

Além do mais, o estresse estimula a produção de glóbulos brancos. Apesar de ser um sistema de defesa, em excesso, pode prejudicar a circulação de sangue nas artérias.

Inflamação nas articulações

Algumas desordens emocionais podem ocasionar inflamações nas articulações, músculos e ossos, tal como rigidez articular, dores ósseas, contraturas e deformidades posturais.

Além disso, por causa do estresse, a pessoa pode sentir grandes tensões musculares e dores nas costas. Isso se deve pela liberação de hormônios, como cortisol, que aumenta a percepção da dor.

Durante esse processo ocorre uma redução da circulação sanguínea, fazendo com que chegue menos oxigênio e nutrientes aos tecidos. O que resulta na dor e até mesmo em sensação de fadiga.

Inclusive a ATM (Articulação Temporomandibular), responsável por abrir e fechar a boca, pode ser prejudicada. Isso acontece porque quando estamos estressados ou com raiva, temos o hábito de pressionar e cerrar os dentes.

O tensionamento dessa articulação, de forma constante, pode causar dores na região da face e se entender para a cabeça, pescoço e ombros, podendo levar a uma DTM (Disfunções da Articulação Temporomandibular).

Bruxismo

As tensões do dia, além de afetarem o emocional e prejudicarem a saúde do corpo, ainda afetam a saúde bucal.

Pessoas ansiosas ou submetidas a estresse muito forte, podem desenvolver o hábito de ranger ou apertar os dentes de forma inconsciente, esse tipo de hábito é conhecido como bruxismo.

O bruxismo do sono é caracterizado pelo ranger dos dentes durante o sono, porém esse problema pode acontecer durante o dia também, é o bruxismo de vigília.

No bruxismo de vigília o indivíduo tem o hábito inconsciente de encostar ou apertar os dentes, ou tensionar os músculos da face (temporal e masseter) durante o dia.

Sem perceberem, a tensão, a concentração e o estresse podem levar as pessoas a manterem esses músculos contraídos e assim desenvolver o bruxismo de vigília. De fato, o ser humano tem a particularidade de canalizar todo o estresse do dia para as articulações e os músculos da boca podendo gerar uma disfunção na ATM.

Alguns sintomas do bruxismo de vigília:

  • Cefaleia tensional;
  • Zumbido no ouvido;
  • Estalos ao abrir e fechar a boca;
  • Sensibilidade dentária;
  • Dor na face e próximo ao ouvido;
  • Dores no pescoço, nuca e parte alta das costas.

Para esse tipo de quadro, o diagnóstico é feito por um especialista em dor orofacial que irá avaliar o seu caso, e indicar o melhor tratamento e até mesmo encaminhar para outros especialistas da área da saúde.

Como tratar as doenças psicossomáticas

Em primeiro lugar, você precisa saber que os sintomas e as doenças não são coisas ou alucinações da sua cabeça. Elas existem e são reais!

Pode acontecer de pacientes não buscarem ajuda – ou até mesmo desistirem – por ouvir que é “coisa da sua cabeça”.

Mesmo sendo uma doença causada pelo psicológico, ainda assim continua sendo uma doença que precisa de tratamento e ajuda profissional.

O diagnóstico pode ser feito por um profissional de saúde mental, clínico geral, neurologista, entre outros profissionais. Para a confirmação, é feita uma avaliação, exames físico, de imagens e laboratoriais que podem ajudar a chegar a um diagnóstico mais assertivo.

O profissional de saúde mental vai te ajudar a diminuir os desajustes emocionais que alimentam a dor física.

O tratamento das doenças psicossomáticas deve ser realizado por uma equipe multiprofissional.

Como tratar o Bruxismo de vigília

A melhor forma de identificar o bruxismo é procurando um especialista em dor orofacial.

LIVA é um tratamento para o bruxismo de vigília. O método utilizado é único e exclusivo, criado pelo Dr. Alain Haggaig, após 15 anos de pesquisa.

Se identificado que a somatização gerou o bruxismo de vigília, além de indicar um profissional de saúde mental, o especialista também poderá fazer uso do DIVA® (Dispositivo Interoclusal de Vigília), uma mini placa personalizada que é ajustada nos dentes posteriores do paciente e que, via biofeedback, ajuda a prevenir as contratações fora de hora, que ocorrem durante o dia.

+Para saber mais sobre os resultados da LIVA, clique aqui.

Conclusão sobre como emocional afeta o corpo

Quando a somatização evolui e os problemas emocionais começam a afetar a saúde do corpo, é preciso buscar ajuda profissional para controlar os sintomas.

Os profissionais da LIVA podem te ajudar!

Precisa de ajuda? Converse Conosco