fbpx

Botox para tratamento das dores de cabeça – Cuidados necessários

O que é o exame de eletromiografia e para que serve?
Eletromiografia: o que é e como é feito?
março 3, 2021
Placas de silicone e bruxismo: entenda a relação
Placas de silicone e bruxismo: entenda a relação
julho 30, 2021
Exibir tudo

Botox para tratamento das dores de cabeça – Cuidados necessários

Botox para tratamento das dores de cabeça

Recentemente começaram a fazer uso do Botox para o tratamento das dores de cabeça. Apesar de parecer uma solução simples, resolver esse sintoma com Botox, pode adiar o descobrimento da verdadeira raiz do seu problema. 

Antes de tratar uma dor de cabeça, é importante saber onde ela tem origem, qual é a causa da sua dor de cabeça, para que assim, você possa tratar do real problema do seu corpo. 

Para mantê-los informados, vamos apresentar alguns pontos sobre o Botox para tratamento das dores de cabeça. 

O que é o Botox?

O Botox é na verdade uma marca comercial, o real nome dessa substância é toxina botulínica. A marca Botox foi a primeira empresa a produzir e comercializar a toxina botulínica no Brasil. Por isso, o nome pegou e muitos se utilizam do nome Botox, como sinônimo para a substância.

Na realidade, a toxina botulínica é produzida pela bactéria Clostridium botulinum, causadora da doença do botulismo. 

No entanto, a toxina botulínica comercializada é purificada e usada em doses capazes de trazer benefícios para o corpo humano, sendo capaz de auxiliar em tratamentos de beleza e até mesmo em doenças.

Quando a toxina botulínica é administrada por injeção, em quantidade muito pequenas e em músculos específicos, apenas o impulso que orienta esse músculo será bloqueado, proporcionando uma diminuição na força da contração muscular na região. 

Desse modo, a toxina botulínica impede a liberação de uma outra substância chamada de acetilcolina. Promovendo assim, a paralisia temporária do músculo, já que com o tempo o organismo produz novas vias de estímulos.

A aplicação do “Botox” deve ser feita por um profissional especializado, como neurologistas, dermatologistas, cirurgiões plásticos, dentistas e outras áreas da saúde que estudaram as técnicas e estão autorizados a realizarem o procedimento. 

Tipos de toxina botulínica 

A bactéria mencionada, Clostridium botulinum, produz ainda outros 8 tipos de toxina, sendo a do Tipo A (TBA), a mais utilizada em procedimentos estéticos por ser a mais potente delas. 

Atualmente o Botox não é mais a única marca comercializada aqui no Brasil. Outras marcas e laboratórios, passaram a fornecer a toxina botulínica, como por exemplo:

  • Botox® – Laboratório Allergan; 
  • Dysport® – Laboratório Ipsen;
  • Xeomin® – Laboratório Merz;
  • Prosigne® – Laboratório Cristália;
  • Botulim® – Laboratório Blau;
  • Botulift® – Laboratório Bergamo;
  • Nabota® – Laboratório Rennova.

Essas são as opções disponíveis no mercado brasileiro. Cada uma delas tem características únicas, por isso a importância de contratar um profissional responsável. 

É preciso que esse especialista saiba lidar com cada marca de toxina botulínica e escolha a mais adequada para o seu caso.

Lembrando que é importante verificar se as empresas possuem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância de Saúde), para a comercialização dos seus produtos.

Para que serve o Botox?

A substância do “Botox” é muito versátil. Ela pode ajudar o paciente em questões de estética e até mesmo ser útil em doenças. 

O uso mais conhecido do Botox é para o tratamento de rugas, marcas de expressão e flacidez na pele do pescoço e colo. 

Porém, a toxina botulínica também ajuda a diminuir os sintomas de hiperidrose (suor excessivo) das mãos, pés e axilas. E ainda pode ser usada na gengiva para diminuir o sorriso gengival, (quando há uma exposição exagerada da gengiva ao sorrir), ou para que a ponta do nariz não caia na hora de um sorriso. 

Entre essas questões, o Botox também tem sido utilizado para o tratamento de: 

  • Espasmo facial, hemifacial e muscular;
  • Enxaqueca e cefaleias tensionais;
  • Correção de estrabismo;
  • Espasticidade disfuncional; 
  • Bromidrose;
  • Saliva excessiva;
  • Blefaroespasmo;
  • Incontinência urinária;
  • Relaxar um músculo contraído depois de um AVC;
  • Diminuir os tremores do Parkinson;
  • Modificar estruturas do rosto;
  • No controle da gagueira;
  • Dor crônica na lombar, devido a dor miofascial;
  • Microcefalia;
  • Paraplegia;
  • Paralisia facial.

O Botox pode servir para muitas situações, no entanto é de extrema importância que um profissional da área da saúde – especializado no problema que você quer resolver – seja consultado, antes de tomar qualquer providência! 

Uma dosagem alta da toxina botulínica pode acarretar na paralisia permanente do músculo, ocasionando no botulismo. 

Botox para tratamento de Bruxismo? Não é recomendado.

O Bruxismo consiste no hábito inconsciente de apertar ou ranger os dentes. Essa condição pode ocorrer durante o sono (bruxismo do sono) e se estender pelo dia, e levar ao bruxismo de vigília. Diversos fatores como ansiedade e estresse, podem levar uma pessoa a ter bruxismo e apresentar sintomas como dor de cabeça constante, desgaste dentário, cervicalgia, zumbido entre outros. 

A técnica para controlar o bruxismo deve focar na reversão deste hábito através de abordagem terapêutica não invasiva baseada no conceito do biofeedback. A ferramenta mais eficiente é a utilização de dispositivo intra oral como o DIVA® (Dispositivo Interoclusal de Vigília) que monitora em tempo real o tensionamento muscular e ajuda o paciente a se reeducar e abandonar esse comportamento. 

Desvantagens do Botox para os casos das dores de cabeça associadas ao bruxismo de vigília

Segundo pesquisas realizadas na Faculdade de Medicina de Wisconsin, nos Estados Unidos, a aplicação de Botox para tratamento de dores de cabeça só obteve resultados em pacientes com quadro de enxaqueca crônica.

Em pacientes acometidos por cefaléia de tensão – que atinge cerca de 78% da população brasileira – o uso da toxina botulínica não teve resultados satisfatórios. 

Portanto, assim como dissemos na introdução deste artigo, é preciso investigar o que está dando origem a sua dor de cabeça para tratar de forma mais adequada a causa do problema. O risco de se submeter a um tratamento sem um diagnóstico correto pode acarretar mais danos ao seu organismo. 

Muitos motivos podem levar uma pessoa a ter dor de cabeça com frequência, e um desses motivos é o bruxismo de vigília. 

Clique aqui e realize o teste para ver se a sua dor de cabeça está associada ao bruxismo de vigília.

Por isso, estamos alertando aos cuidados de se fazer uso do Botox de forma indiscriminada para tratar qualquer dor de cabeça. Você pode aplicar a toxina botulínica para diminuir as dores de cabeças e acabar descobrindo que na verdade a causa principal era o bruxismo.

Para saber quais são os sintomas do bruxismo, leia este texto.

Diferenças do tratamento LIVA para o Bruxismo de vigília.

O tratamento LIVA busca controlar – de forma não invasiva – o hábito de apertar os dentes (o que pode ocasionar a cefaleia tensional). O método é indicado para os pacientes que sofrem com o bruxismo de vigília.  

O tratamento LIVA utiliza o DIVA®, criado pelo Dr.Alain Haggaig. O DIVA® é um dispositivo colocado entre os últimos quatro dentes, usado durante o dia, e que monitora em tempo real o “apertamento” dos dentes e o tensionamento dos músculos da face e da cabeça. 

Sendo assim, através do biofeedback, o cérebro é reeducado e abandona o hábito do bruxismo. O dispositivo ajuda o paciente a notar quando e porquê os movimentos de tensão estão acontecendo. 

Benefícios do dispositivo DIVA® para o tratamento de bruxismo de vigília:

  • Não precisa de anestesia;
  • O procedimento não é invasivo;
  • Não tem uso de medicamentos;
  • Não tem contra indicação ou efeitos colaterais;
  • Pode retirar e colocar quando quiser;
  • Resultado é perceptível no decorrer do dia a dia;

Conclusão sobre o uso do Botox para tratamento das dores de cabeça

O Botox é um aliado importante para o controle de certos distúrbios musculares, mas é preciso ter cuidado ao buscar esse tipo de alternativa, já que a sua aplicação deve ser supervisionada e o seu abuso pode ser danoso.

Busque um profissional da área para te ajudar com o problema que lhe cerca. Saiba que é fundamental escolher um especialista em dor de cabeça crônica, para te ajudar a identificar os motivos de suas dores. 

Veja o que o especialista te recomenda, e só então decida o que fazer.

Não se arrisque! Sua saúde é o seu bem mais importante!

Se você ficou com alguma dúvida lendo esse artigo, nos escreva! Responderemos assim que possível.

Precisa de ajuda? Converse Conosco