fbpx

Afinal, quais são os tipos de bruxismo?

Depoimento paciente Aline
janeiro 15, 2020
Será que tomar muito remédio faz mal? Descubra!
fevereiro 20, 2020
Exibir tudo

Afinal, quais são os tipos de bruxismo?

O bruxismo é conhecido como o hábito de pressionar e ranger os dentes que está presente em muitos adultos e crianças. Contudo, o que muita gente não sabe é que há tipos de bruxismo diferentes — o bruxismo do sono e o de vigília. Entender as diferenças entre essas condições é essencial para buscar o tratamento adequado.

A desordem acontece quando os dentes entram em contato de forma forçada. Tal processo pode ser silencioso ou produzir sons. Se o problema não for tratado corretamente pode gerar consequências mais graves, principalmente para os seus dentes.

Quer saber mais? Acompanhe, neste post, mais informações sobre esses dois tipos de bruxismo e como tratá-los!

Quais as diferenças entre bruxismo do sono e bruxismo de vigília?

Como o próprio nome sugere, o bruxismo do sono se manifesta quando a pessoa está dormindo, enquanto o bruxismo de vigília ocorre quando ela está acordada. Mas, a maior diferença entre eles é o fato de que o primeiro caso se caracteriza pelo ranger dos dentes e o segundo é identificado por meio do apertamento deles ou apenas pelo tensionamento dos músculos da face mesmo sem promover contato entre os dentes. Isto é voce pode estar “bruxando” mesmo sem encostar os dentes

Além disso, o bruxismo diurno está associado a contrações mais prolongadas dos músculos da mastigação, de modo que o paciente fique durante longos períodos encostando os dentes ou tensionando a musculatura da face. Geralmente, isso acontece em momentos de estresse, tensão ou ainda quando é preciso se concentrar, como para estudar ou usar o computador. Alguns estudos mais recentes também associam o bruxismo acordado a um habito independente, autônomo e inconsciente que não depende de estímulos externos.

Quais são as causas de cada um dos tipos de bruxismo?

O bruxismo noturno é classificado como um distúrbio de movimento que está relacionado ao sono, podendo ser desenvolvido, também, por causa do uso de medicamentos, alterações respiratórias (como apneia), e distúrbios neurológicos.

Por sua vez, o bruxismo de vigília pode aparecer devido à ansiedade, estresse e medicações utilizadas para tratamento de ansiedade e problemas motores, como Parkinson e paralisia cerebral. Além disto, como vimos, ele pode ser apenas, um hábito.

Quais são as consequências do bruxismo?

Nos dois tipos de bruxismo o paciente tem a sua qualidade de vida afetada. Isso porque, o problema pode levar ao desgaste dentário e da dentina, ocasionar a quebra dos dentes e próteses, provocar sensibilidade dentária, dor e mobilidade deles.

Também é comum que o indivíduo tenha dores faciais e no pescoço por conta da frequência na qual os músculos maxilares ficam tensionados, dor de cabeça, na articulação temporomandibular e fadiga facial em geral.

Quais são os tratamentos mais indicados?

Embora não tenha cura total, o bruxismo pode ser controlado e amenizado, o que depende do seu grau de gravidade. O tratamento para esse hábito pode ser feito em conjunto com médicos, dentistas e psicólogos.

Entre as formas mais comuns de tratamento para o bruxismo do sono está a indicação de uso de placas estabilizadoras, higiene do sono e terapias físicas. Para o bruxismo diurno, uma das novidades mais eficientes é o DIVA®, que é um dispositivo intra oral colocado entre os quatro últimos dentes, para ser usado de dia, que ajuda o paciente a se livrar deste hábito.

É importante ressaltar que o diagnóstico dos tipos de bruxismo é feito por profissionais especialistas em Dor Orofacial, através de uma anamnese apurada e de um exame de eletromiografia realizada pelo dentista. Aqui na LIVA você encontra todas as informações sobre dores da face, tendo mais facilidade para identificar qual é o seu problema.

Precisa de ajuda? Converse Conosco