fbpx

6 Motivos que podem levar a sensibilidade nos dentes

Conheça os gatilhos que podem estar associados às suas dores de cabeça
Conheça os gatilhos que podem estar associados às suas dores de cabeça
agosto 20, 2021
Exibir tudo

6 Motivos que podem levar a sensibilidade nos dentes

6 Motivos que podem levar a sensibilidade nos dentes

Quem nunca sentiu uma dorzinha quando provou algo muito gelado (ou muito quente)?

Isso acontece por causa da hipersensibilidade nos dentes. Este problema atinge 32% da população brasileira, mas você sabe quais os motivos que podem causar a sensibilidade dentária?

Não é apenas alimentos muito gelados ou muito quentes que podem provocar a sensibilidade nos dentes, mas sim diversos fatores como doenças, má escovação, bruxismo e até mesmo alimentos estão entre um dos motivos que podem gerar esse desconforto.

O que é a sensibilidade nos dentes?

Popularmente conhecida como sensibilidade dentária, a dor é aguda e momentânea e acontece devido à exposição da dentina – uma camada porosa conectada ao nervo central. A parte visível do dente é chamada de coroa, ela é revestida pelo esmalte e a dentina fica abaixo do esmalte dentário.

Quando o esmalte desgasta (ou há um deslocamento de gengiva) a dentina fica exposta, e como a dentina tem ligação com a polpa – onde ficam os nervos e vasos do dente – faz com que sentimos dor no momento que é atingida.

Sendo assim, cada vez que a dentina entra em contato com fatores externos como doces, bebidas geladas ou até mesmo o ar frio da respiração, podem desencadear dores e desconfortos na região.

Fatores que podem deixar os dentes sensíveis

Existem muitos elementos que podem desencadear a sensibilidade nos dentes. A maioria das pessoas que sofrem deste mal, pensam que certas comidas causam dores ao entrar em contato com o seu dente, como sorvete, doces, entre outras coisas.

Entretanto, essa condição pode ser apenas um sinal que o esmalte do dente se desgastou, e não que o alimento em si seja o causador da sensibilidade. Ele pode contribuir para a degeneração do esmalte, porém ainda há muitas razões para que os dentes tenham desenvolvido a sensibilidade, desde problemas bucais a bruxismo.

Então vamos conhecer os principais pontos.

1. Problemas na saúde bucal

A dor causada pela sensibilidade dentária geralmente é aguda e de curta duração, mas dependendo do grau de exposição da dentina, essa dor pode ser mais intensa e ocorrer com maior frequência.

Um dos principais motivos da sensibilidade dentinária são problemas relacionados à saúde oral, desde hábitos higiênicos a problemas rotineiros. Veja a seguir alguns exemplos.

Principais problemas bucais que causam sensibilidade no dente:

  • Retração de gengiva: quando a gengiva diminui, deixando a raiz do dente exposta. Isso pode acontecer com escovação inadequada, por causa de gengivite ou até mesmo com o passar do tempo e a idade;
  • Cárie: A presença de cárie também pode causar a sensibilidade dentária, principalmente se estiver profunda, situada na raiz do dente ou em locais que o esmalte está mais fino. As dores são mais intensas e constantes neste caso;
  • Maloclusão: É um alinhamento anormal dos dentes inferiores e superiores. Esse conjunto de falhas podem causar mordida cruzada e mordida aberta. Isso pode acontecer pela mandíbula ser muito pequena para os dentes, ou pelos caninos serem maiores que o normal, e até mesmo por vir de hábitos de infância como chupar o dedo.

Além desses fatores, alguns tratamentos dentários também podem causar a sensibilidade temporária. Entre eles estão: restauração, clareamento, limpeza e aparelhos ortodônticos.

2. Alimentos e Bebidas ácidas

Alguns alimentos e bebidas também podem diminuir gradualmente a espessura do esmalte do dente. Por isso, se você estiver com sensibilidade dentária, procure evitar alimentos picantes e doces e também bebidas cítricas.

Se não for possível escovar os dentes depois de alguma dessas comidas e bebidas, faça bochecho com água para que alivie o impacto da acidez (lembrando que não se deve escovar os dentes logo após de comer, mas sim esperar pelo menos 30 minutos).

Alimentos e bebidas que causam sensibilidade nos dentes:

  • Refrigerantes;
  • Cerveja;
  • Café;
  • Vinagre;
  • Tomate;
  • Frutas cítricas (limão, abacaxi, laranja e etc);
  • Iogurte;
  • Isotônicos;
  • Pimenta;
  • Queijos envelhecidos;
  • Ketchup;
  • Adoçantes e doces em geral.

Leia também: Conheça os gatilhos que podem estar associados às suas dores de cabeça.

3. Refluxo gastroesofágico

O refluxo gastroesofágico é o retorno repetitivo e involuntário do conteúdo do estômago para o esôfago.

O alimento mastigado passa pela faringe, pelo esôfago e por fim, cai no estômago. Entre o esôfago e o estômago existe uma válvula que impede que o suco gástrico volte pelo esôfago.

É normal que passe uma certa quantidade dessa substância, porém quando os valores são muito altos, pode acontecer os refluxos gastroesofágicos.

Entre os muitos sintomas que essa doença pode estimular, um deles é a sensibilidade dos dentes, tendo em vista que a boca não está preparada para receber esse conteúdo ácido do estômago. Essa substância pode ajudar na erosão do esmalte dentário.

Hábitos como beber muito líquido durante as refeições e comer rápido, podem agravar a situação do refluxo.

4. Bruxismo

O bruxismo é o hábito de pressionar ou ranger os dentes. Existem dois tipos: o bruxismo noturno e o bruxismo diurno (também conhecido como bruxismo de vigília).

O bruxismo noturno se caracteriza pelo ranger dos dentes quando a pessoa está dormindo. Esse tipo de situação favorece a sensibilidade dentária, porém quando a sensibilidade é provocada pelo bruxismo, todos os dentes – ou a grande maioria – tornam-se sensíveis.

A fricção que acontece no período da noite pode resultar no desgaste do esmalte de vários dentes e até mesmo em fraturas dentárias. Neste caso, costuma-se indicar a placa de mordida, mas ela não é sempre a melhor alternativa.

Já no bruxismo de vigília o hábito se estende durante o dia. Em alguns casos, não há presença do ranger dos dentes. O que mais define o bruxismo de vigília é o apertamento ou tensionamento dos músculos da face.

Essa condição pode acontecer devido a muita tensão e estresse ou por atividades que exijam concentração. Dessa forma, o paciente permanece com os dentes encostados por muito tempo, sem ao menos perceber. Com o passar do tempo, pode surgir a sensibilidade nos dentes.

Por isso é importante procurar um especialista em dor orofacial para que ele possa avaliar o seu caso e te indicar o tratamento certo para cada tipo de bruxismo.

5. Pasta de dente abrasiva

Assim como os alimentos ácidos podem prejudicar a proteção natural dos dentes, um creme dental muito forte pode também aumentar o desgaste do esmalte dentário.

Principalmente aqueles que têm efeito clareador. Para obter tal resultado a pasta de dente clareadora faz o polimento do esmalte e a remoção de pigmentações adquiridas durante os anos.

Entretanto, se usadas por um longo período de tempo, elas podem promover o desgaste do esmalte dentário. Por isso tenha moderação ao usar esse tipo de pasta, e busque alterar por cremes dentais comuns.

6. Escovação incorreta

Não basta apenas escovar os dentes, é preciso fazer isso do jeito certo. Fazer a higienização da boca de forma errada, pode trazer sérias consequências para a saúde bucal.

Por isso, sem exageros! Nada de escovar os dentes com muita força, pois isso pode acabar desgastando o esmalte dentário. Apesar de ser a substância mais rígida do corpo humano, ao usar muita pressão ao escovar os dentes (ou utilizar uma escova com cerdas duras) pode ocasionar no desgaste e assim causar sensibilidade nos dentes.

Outros fatores que colaboram para isso é a escovação excessiva – feita mais de 3 vezes ao dia – e escovar os dentes muito rápido após as refeições. Isso porque os ácidos presentes na boca após as refeições reagem com o creme dental, favorecendo o desgaste do esmalte do dente.

Por isso, após fazer suas refeições, espere meia hora para começar a fazer a sua higiene bucal.

Tratamento para a sensibilidade nos dentes

Quando o caso de sensibilidade não é muito grave, ela pode regredir naturalmente com remineralização da saliva que bloqueia os canais de dor.

Porém, quando não há regressão deste problema é preciso procurar um dentista para que ele trate a sua sensibilidade dentária.

Entre os tratamentos mais comuns para a sensibilidade nos dentes estão:

  • aplicação de verniz de flúor nas áreas sensíveis;
  • indicação de tratamento tópico;
  • prescrição de creme dental e enxaguante bucal com alto teor de flúor;
  • restauração de áreas que perderam o esmalte;
  • terapia com laser;
  • cirurgia plástica gengival.

Quando há um causador da sensibilidade – como a cárie ou dentes fraturados – entra o procedimento específico para tal tratamento. Por isso procure um dentista para que ele trate a causa e não apenas o problema.

Tratamento para o Bruxismo

No caso de pacientes com bruxismo é preciso buscar um atendimento especializado, preferencialmente com um especialista em dor orofacial para que ele possa avaliar o seu caso.

Até porque o bruxismo pode surgir devido ao estresse, efeito colateral de medicamentos, maus hábitos (como roer as unhas, apoiar a mão no rosto, má postura), resposta a dores de ouvidos ou dor de dente, entre outros motivos. O profissional precisa descobrir qual dessas circunstâncias podem estar ocasionando o bruxismo, para assim, iniciar o tratamento específico para cada situação.

Quem sofre com o bruxismo de vigília, ainda pode ter alguns desses sintomas:

  • dor de cabeça (cefaleia tensional);
  • boca estralando ao abrir;
  • dentes desgastados e fraturados;
  • zumbido no ouvido;
  • sensibilidade dentária, principalmente ao frio;
  • língua e bochecha com sinal de mordiscamentos.

Pensando na diversidade da situação que leva ao bruxismo, a LIVA criou um protocolo diagnóstico e terapêutico para identificar desde o tipo até as causas que levam a esse problema.

Com uma ampla rede de profissionais credenciados de diversas áreas, a LIVA desenvolveu um tratamento premiado pela academia europeia de Dor Orofacial. Os profissionais parceiros da  LIVA estão preparados para identificar o tipo de bruxismo e qual melhor tratamento para o seu caso.

O tratamento recomendado para o bruxismo de vigília preconiza o uso do DIVA ®, dispositivo intra oral criado pelo Dr. Alain Haggiag depois de 15 anos de estudos e pesquisas.

DIVA® no tratamento para o Bruxismo de vigília

Com um tratamento único e exclusivo, o DIVA® tem mostrado respostas positivas ao tratar pacientes com bruxismo de vigília. O DIVA® tem ajudado a reverter complicações como cefaleias, dores na região da face e disfunção na ATM, sintomas esses, associados ao bruxismo de vigília.

Esse dispositivo tem como objetivo reeducar o cérebro para o efetivo controle do tensionamento da musculatura da mandíbula. Com esse monitoramento em tempo real, o paciente passa a notar os momentos de contração inconscientes, deixando assim de realizá-las durante o decorrer do dia, propiciando relaxamento na região.

+Para saber mais sobre o DIVA®, clique aqui.

Conclusão da sensibilidade dentária

Nota-se que muitos fatores podem desencadear a sensibilidade dentária. Alguns podem até ser evitados, mas outros precisam ser tratados.

Existem problemas que o dentista pode resolver. No caso do bruxismo, um especialista em dor orofacial pode chegar a uma conclusão mais precisa.

Contudo, você também pode prevenir a sensibilidade dentária incluindo alguns passos bem simples na sua rotina, como utilizar uma escova de cerdas macias, não escovar os dentes com força, evitar certos tipos de alimentos, ou realizar a higiene bucal de forma correta.

Entretanto, ao sinal de qualquer anormalidade busque a ajuda de um profissional e cuide da sua saúde bucal!

Precisa de ajuda? Converse Conosco